Usuários Conectados :

Total de Visitas: 9487950

Servidores elogiam formato leve e interativo de palestra sobre educação financeira

26 de Outubro de 2017 - 16:10     Rejane Monteiro

Servidores elogiam formato leve e interativo de palestra sobre educação financeira Fotografo: David Majella

Campo Grande (MS) – Qual o seu sonho? A pergunta, que parece simples, mas que revela a complexidade das nossas atitudes com relação ao que esperamos efetivamente da vida, deu início na manhã desta quinta-feira (26) a uma palestra leve e interativa da educadora financeira, Andreza Stanoski.

Despertando o servidor para a reflexão, a mestre m Teologia e Filosofia pela Universidade Mackenzie, em parceria com a Zetra abordou técnicas importantes de planejamento familiar, consciência do equilíbrio que se deve ter entre receitas e despesas, o desafio do consumismo exagerado, a real necessidade da utilização de empréstimos consignados, cheque especial, cartões de crédito e o mais importante: Como gerir a nossa renda. “Tão importante quanto o real valor do nosso salário é efetivamente a forma que aplicamos esses valores. Será que quando vou na internet escolher um celular novo que posso parcelar em 10, 12 vezes eu paro para refletir se aquele aparelho é realmente necessário para mim, neste momento. Será que eu posso esperar mais um pouquinho e adquirir esse produto à vista, que sairia por um valor bem mais enxuto? ”, pontuou Andreza ao observar que planejamento financeiro em nada tem a ver com a quebra na realização de sonhos que é importante sim e essencial na vida de cada ser humano. O planejamento financeiro vem de encontro ao consumo consciente.

“A nossa vida amanhã pode significar uma conquista ou uma derrota, nós que vamos escolher”, observou Andreza Stanoski

Para ela, um dos grandes segredos é não deixar as oportunidades passarem porque a vida de cada um amanhã, é o reflexo das atitudes que estão sendo tomadas hoje. “A nossa vida amanhã pode significar uma conquista ou uma derrota, nós que vamos escolher”, observou ao relatar experiências importantes como a construção de uma planilha com todos os gastos do mês, a definição de prioridades com a renda mensal e as pequenas ações de economia no dia a dia.

Para a servidora de Secretaria de Educação, Ana Maria de Lima Souza que há 23 anos atua no serviço público a abordagem da temática foi extremamente positiva e esclarecedora, sobretudo pelo atual momento econômico que vivenciamos. “É um tema que sempre me interessou. Fiz questão de vir porque hoje é necessário mantermos o nosso orçamento organizado e planejado. Ela nos trouxe várias experiências, é sempre bom compartilhar conhecimento. A palestra melhorou bastante a minha concepção de equilíbrio entre receita e despesa”, destacou.

Há 13 anos no serviço público atuando como servidora da Fundação de Saúde, Carla Tatiane aproveitou para parabenizar a administração estadual pelas ações da Semana do Servidor e lembrou que o tema sempre a despertou. “Sou uma pesquisadora desse tema. Gostei muito da abordagem. Ela conseguiu nos passar técnicas importantes de uma forma leve, descontraída. Saio daqui hoje com várias reflexões”, destacou.

Servidor de carreira, há 36 anos do Imasul (Instituto de Meio Ambiente de Mato Grosso do Sul) Gilmar Meneguzzo aproveitou para captar novas técnicas e sugestões para organizar melhor o ganho mensal. “Gosto de novas opiniões. A gente as vezes gasta por impulso. E palestras como essa nos trazem reflexões importantes. Será que realmente preciso? ”, pontuou.

 

Compenetrada, a servidora da Secretaria de Justiça e Segurança Pública Gleice Taciana Barbosa anotava todas as técnicas. Com 14 anos de serviços públicos, em muitos momentos ela gravava as dicas da educadora financeira para não perder nenhum detalhe. “Durante muitos anos estive em uma situação financeira bastante complicada e foi com planejamento que consegui sair das dívidas. Foi por isso que fiz questão de vir e trazer minha companheira de trabalho que hoje vivencia essa situação”, pontuou a servidora que hoje já consegue até planejar seus gastos e em pouco tempo estará alcançando seus objetivos financeiros.

Já a colega de trabalho, a servidora Luciene Aparecida Serpa revelou que hoje vive um momento tão difícil que não conseguiu responder qual o seu sonho. “Fiquei tão confusa com relação ao meu sonho que não consegui responder. Parece que todos os meus sonhos estão diretamente ligados a minha situação financeira e fiquei travada”, disse completando que o momento é difícil, mas que as novas técnicas vão ajudá-la. “O momento é ruim, mas tenho certeza que não vai piorar. Vou achar uma forma de sair dessa situação financeira. Eu consigo! ”, finalizou.

Servidora do departamento de Protocolo da Secretaria de Administração e Desburocratização, Simone Gomes se identificou em vários pontos. “Quando ela falou das ações de economia que a gente vai atribuindo a nossa rotina, me identifiquei muito. Depois que comecei a construir planilhas de custos, comecei a detectar que nos pequenos valores poderia economizar. Hoje me policio o tempo todo quando quero comprar um chocolate, um bolo, um pão. Porque são essas pequenas economias que tem garantido o meu equilíbrio financeiro”, observou.

Com auditório do Tribunal Regional do Trabalho lotado, a palestra que faz parte da programação da Semana do Servidor teve duração de três horas e ao final, todos os participantes receberam certificados de participação.

A nossa política de desenvolvimento do servidor visa o seu desenvolvimento integral. Tanto do aspecto físico, intelectual, mental, espiritual e social, porque o servidor público precisa ser visto dessa forma, como ser humano em sua totalidade” pontuou o titular da SAD, Carlos Alberto de Assis

Responsável pelas ações da Semana do Servidor, o secretário Carlos Alberto de Assis que fez questão de participar, lembrou que a ação reflete a preocupação do Governo do Estado com a atenção integral ao servidor, dentro de uma política de valorização. “A nossa política de desenvolvimento do servidor visa o seu desenvolvimento integral. Tanto do aspecto físico, intelectual, mental, espiritual e social, porque o servidor público precisa ser visto dessa forma, como ser humano em sua totalidade” pontuou.

Rejane Monteiro, da assessoria de comunicação da SAD

Fotos: David Majella