Usuários Conectados :

Total de Visitas: 9487968

Ação do Agosto Lilás na SAD, alerta servidores para cinco tipos de violência contra a mulher

17 de Agosto de 2017 - 10:08     Mireli Obando

Ação do Agosto Lilás na SAD, alerta servidores para cinco tipos de violência contra a mulher Fotografo: David Majella

Campo Grande (MS) – Com objetivo de levar esclarecimentos sobre a Lei nº 11.340/2006, mais conhecida como Lei Maria da Penha, a Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização (SAD) reuniu os servidores na manhã desta quinta-feira (17.8) para mais uma ação de conscientização e combate à violência contra a mulher.

Psicóloga Nathielle Braga conta aos participantes a história que deu origem ao nome da Lei Maria da Penha.

Contando a história da cearense Maria da Penha, que ficou paraplégica devido às agressões sofridas pelo marido, e que há onze anos deu nome à lei que protege as mulheres contra abusos e violências sofridos dentro de casa, a psicóloga da Subsecretaria de Politicas Públicas para as Mulheres, Nathielle Braga, alertou para os cinco tipos de violência abrangidos pela Lei Maria da Penha:

  • Violência moral
  • Violência patrimonial
  • Violência emocional ou psicológica
  • Violência sexual
  • Violência física

Carlos Alberto de Assis, destacou a importância de ações de conscientização.

Vestindo lilás, o secretário da SAD, Carlos Alberto de Assis, destacou a importância de ações de conscientização no enfrentamento à violência doméstica. “Esse é um tema bastante delicado que precisa ser debatido. Apesar dos 11 anos de existência da Lei Maria da Penha, os índices ainda são alarmantes, pois a cada cinco mulheres, uma sofre agressão dentro de casa. Violência contra a mulher é crime, e a sociedade precisa se unir contra esse mal” pontuou.

Ana Verbisck acredita no fortalecimento de ações como caminho para redução de casos de violência doméstica.

A servidora Ana Carina Verbisck acredita no fortalecimento de ações de conscientização como caminho para redução de casos de violência doméstica. “É muito importante reforçar cada dia mais o combate à violência contra a mulher. Porque a gente vê que com todo esse trabalho tem aumentado o número de denúncias, mas a gente também vê casos de violência sofridos pelas mulheres nos jornais. Então, é sempre bom reforçar, os tipos de violência e todas essas questões, para que cada vez mais a mulher ganhe autonomia e possa garantir a vida dela. Porque isso é uma questão de garantia da vida” avaliou.

Ao final da ação, que contou com aproximadamente 200 servidores da SAD, foi entregue o livreto informativo que contém as especificidades da Lei Maria da Penha, números onde podem ser feitas denúncias, e locais de apoio psicossocial gratuito às mulheres vítimas de violência.

– Central de Atendimento a Mulher: 180

– Delegacia Especializada de Atendimento a Mulher (DEAM): (67) 3314-7547

– Centro de Atendimento a Mulher (CEAM): 0800 – 671 – 236 ou (67) 3361-7519

– Casa da Mulher Brasileira: (67) 3314-7557

 Mireli Obando – Secretaria de Estado de Administração e Desburocratização (SAD)

Fotos: David Majella